12/03/2012

CINCO VOTOS PARA OBTER PODER ESPIRITUAL - A.W. TOZER

Postado por Luís Filipe de Azevedo



Uma das atitudes mais nobres que o ser humano deve ter, seja diante de uma pregação da Palavra de Deus que foi ministrada no domingo, seja depois da leitura de um livro cristão que tocou seu coração, ou depois de um louvor que fez estremecer sua alma, é a atitude do voto, do compromisso, da decisão de mudar de rumo. Infelizmente, algumas pessoas rejeitam a idéia de fazer votos e tomar decisões, permanecendo na mesmice.

Aiden, Wilson Tozer, mais conhecido como A. W. Tozer, pastor americano que viveu de 21 de abril de 1897 a 12 de maio de 1963, em seu livro Cinco Votos par Obter Poder Espiritual[1], dá alguns conselhos sobre essa questão. Parafraseando Tozer, se o homem e a mulher está realmente à procura de crescimento espiritual, à procura de poder na vida, à procura de uma vida diferente, de uma alegria verdadeira, de um reavivamento pessoal no seu interior, há que se fazer certos votos, há que se tomar certas decisões e há que empenhar-se para cumpri-los. E, se em algum momento você falhar, prostre-se em humilhação, arrependa-se e comece de novo, sem­pre considerando os votos feitos.

Tozer diz que “o homem carnal rejeita a disciplina de tais compromissos. Ele diz: ‘Quero ser livre. Não quero ter qualquer voto sobre mim. Não creio nisso. Isso é legalismo’”. Somente as grandes almas se aproximam com reverência na presença de Deus conscientes que são pó, dizendo como Paulo em Romanos 7.24: “Miserável homem que eu sou! Quem me libertará do corpo desta morte?”. Apenas aqueles que sabem que tudo que temos, tudo que somos, tudo que viermos a ser, vem da capacidade dado por Deus a nós. Portanto, é fato, se Deus não for concosco, quebraremos o voto de compromisso que fizermos antes do romper da manhã, antes do por do sol. Não obstante, porque cremos em Deus, com reverência assu­mamos certos votos sagrados. Eu quero obter poder espiritual, e creio piamente que esse é o caminho.
Tozer propõe cinco votos de compromisso para se obter poder espiritual, votos que tenho feito, e gostaria que você leitor tembém fizesse. Eu, com minhas palavras e influenciado pelas palavras de Tozer, reescrevo os votos abaixo de modo imperativo:

1º Voto de Compromisso: Trate Seriamente o Pecado em Sua Vida

O pecado é o antigo inimigo da alma. O profeta Ezequiel diz: "A alma que pecar, essa morrerá" (Ez 18. 4, 20). Por essa razão precisamos tratar firme­mente com o pecado em nossa vida. Isso não significa vida de perfeição sem pe­cado. Quem é perfeito e não tem pecado, que atire a primeira pedra! Antes, significa dizer que todo pecado conhecido deve ser nomeado, identificado e repudiado, e que devemos confiar em Deus para nos libertar dele, para que não exista qualquer pecado consciente, deliberado em qualquer parte de nossa vida. É absolutamen­te necessário que façamos isso, porque Deus é um Deus santo.

Portanto, não tente disfarçar seus pecados habituais, dando-lhes nomes e caras enfeitados que não correspondem ao que realmente são. Também, não confunda convicção de pecado com complexo de culpa. Pecado não se trata em consultórios, mas com lágrimas nos olhos e de joelhos confessando-os na presença do Justo e Santo. E quando orar, não utilize palavras vazias, mas chame seus pecados pelo nome. Se você é invejoso, chame-o de inveja. Se você é mentiroso, cheme-o de mentira. Se você é ressentido, cheme-o de ressentimento. Se você murmura de tudo, chame-o de murmuração. Se você é prepotente e tem uma admiração excessiva por si mesmo e um enorme desprezo pelos outros, chame-o de orgulho.

Reiterando, tratemos do pecado com seriedade e sigamos o conselho de Edras 10.11a: “Agora confessem seu pecado ao Senhor, o Deus dos seus antepassados, e façam a vontade dele” e aprendam o princípio de Provérbios 28.13: “Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia”, lembrando das palavras do apóstolo João: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça”.  

2º Voto de Compromisso: Não Seja Dono de Coisa Alguma

Esse voto não tem nada a ver com possuir coisas, mas sim de ser possuido por elas. Devemos ser libertos do senso de possuir coisas porque esse sentimento embaraça nossa vida. A frase "isto é meu!", transmite possessividade e é muito prejudicial para o espírito. Se puder livrar-se disso, para que não tenha mais o sentido de posse sobre qualquer coisa, você sentirá grande liberdade em sua vida. Isso não significa que vender tudo o que tem ou dar aos pobres. Não, o Senhor te dará bens, permitirá que você tenha seus negócios, sua profissão, seu carro, sua casa, contanto que entenda que isso não lhe pertence, em absoluto, mas é Dele, e que você é um trabalhador Dele, um mordomo. Desse modo, não precisaremos perder nada, porque não nos petence, mas a outra pessoa, Deus. Porém, se essas coisas forem suas, haverá uma preocupação demasiada, de modo que os seus olhos e coração estarão voltados para suas posses.

Quem pensa ser dono de alguma coisa, é repreendido pelo Senhor a entrega-lo tudo quanto possui. Imagine você, que alguns são mantidos para trás porque algo está preso às suas vidas. Homem, do que você precisa abrir mão para melhor servir a Deus? Mulher, do que você precisa abrir mão para melhor servir a Deus? Consideremos seriamente o que devemos deixar, e façamos isso de coração.

3º Voto de Compromisso: Nunca se Defenda

A defesa parace estar no ser humano desde nascença. E caso insista em defender a si mes­mo, Deus permitirá que você o faça. Porém, se você entregar sua defesa a Deus, então Ele o defenderá. Ele disse a Moisés certa vez: "Serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários" (Ex 23.22).
Não tenho de lutar. O Senhor é Quem luta por mim. E Ele certamente fará o mesmo por você. Ele será o Inimigo dos seus inimigos e Adversário de seus adversários, e você nunca mais precisará defender a si mesmo.

O que defendemos? Bem, defendemos nosso serviço e, particularmente, defende­mos nossa reputação. Sua reputação é o que os outros pensam que você é, e se surgir al­guma história sobre você, a grande tentação é tentar correr para acabar com ela. Mas, a melhor coisa a fezer não é tirar satisfação, e sim entragar o caso ao Senhor, para que Ele seja o advogado e juiz do fato ocorrido. Há uma promessa no Salmo 91, que “Se você fizer do Altíssimo o seu abrigo, do SENHOR o seu refúgio, nenhum mal o atingirá, desgraça alguma chegará à sua tenda” (v.9-10).

Se você se voltar completamente ao Senhor, Ele o defenderá completamente e providenciará para que ninguém lhe cau­se dano. "Toda arma forjada contra ti não prosperará", diz o Senhor, "toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás" (Is 54.17).

4º Voto de Compromisso: Nunca Passe Adiante Algo que Prejudique Alguém

"O amor cobre multidão de pecados" (1 Pe 4.8). O fofoqueiro não tem lugar no favor de Deus. Se você sabe alguma coisa que possa vir a obstruir ou ferir a reputa­ção de um dos filhos de Deus, enterre-a para sempre. Busque um pequeno jardim, atrás da casa - um lugarzinho em alguma parte - e, quando alguém se aproximar de você com alguma história de maledicência, leve-a até ali e sepulte-a, dizendo: "Aqui jaz em paz a história sobre meu irmão". Deus tomará conta daquela história. "Com o critério com que julgardes, sereis julga­dos" (Mt 7.2).

Se quer que Deus seja bondoso com você, terá também de ser bondoso com Seus outros filhos. Você dirá: "Mas isso não é a graça!?". Bem, a graça é que fez você entrar no reino de Deus. E um favor imerecido. Porém, depois de você assentar-se à mesa do Pai, Ele espera poder ensiná-lo como se portar à mesa. E Ele não lhe permitirá comer enquanto você não obedecer à etiqueta de Sua mesa. E que etiqueta é essa? E que não conte histórias sobre os irmãos que estão as­sentados à mesa com você - não importando onde congregam, a nacionalidade ou aconte­cimentos do passado.


5º Voto de Compromisso: Nunca Aceite Qualquer Glória

Deus é zeloso de Sua glória e não a dará a ninguém. Ele não irá nem mesmo compar­tilhar Sua glória com quem quer que seja. É muito natural, diria eu, que as pessoas esperem que talvez seu serviço cristão lhes dê uma oportunidade de demonstrar seus talentos. Verdadeiramente querem servir ao Senhor, mas também querem que os demais saibam que estão servindo ao Senhor. Elas querem ter reputação entre os santos. Este é um terreno muito perigoso: buscar repu­tação entre os santos. Já é ruim o bastante procurar reputação no mundo, mas é pior procurar reputação entre o povo de Deus. Nosso Senhor desistiu de Sua reputação, e devemos fazer isso também.

Meister Eckhart certa ocasião pregou um sermão sobre a purificação que Cristo fez no templo. Disse ele: "Ora, nada havia de errado com aqueles homens que vendiam e compravam ali. Nada havia de errado em trocar dinheiro ali; aquilo tinha de ser fei­to. O pecado deles se resumia no fato de fazerem isso para ter lucro. Eles ganhavam certa porcentagem ao servirem ao Senhor". E então Eckhart fez a aplicação: "Quem quer que sirva por uma comissão, por um pouqui­nho de glória que possa tirar desse serviço, é um comerciante, e deve ser expulso do templo".

Concordo plenamente com isso. Se você está servindo ao Senhor e, quase sem per­ceber - talvez inconscientemente mesmo -, espera obter uma pequena comissão de cin­co por cento, cuidado! Isso irá espantar o poder de Deus de seu espírito. Você precisa determinar que nunca irá aceitar qualquer glória, mas cuidar para que Deus a receba toda.

Esses Cinco Votos Necessitam ser Escritos em Nosso Próprio Sangue

A coisa mais simples possível é apresentar uma mensagem como esta. O realmente di­fícil é pôr isso em prática em nossa própria vida. Relembre que esses cinco votos não são alguma coisa que se deva escrever na capa da Bíblia para, depois, esquecê-los. Necessitam ser escritos em nosso próprio sangue. Têm de ser votos finais, irrevogáveis. Ficarem apenas na superfície não é suficiente. Muito de nos­sa consagração é assim, apenas superficial. Não pode ser assim. Não! Que esses votos venham das profundezas de seu coração, das maiores profundezas de seu espírito.

Esses votos são contrários à antiga nature­za humana. Eles introduzem a cruz em nossa vida. E ninguém jamais pôde recuar depois de ter tomado sua cruz - ninguém, jamais. Quando um homem toma a cruz, já disse adeus. Já fechou as gavetas de sua escrivani­nha e disse adeus à esposa e aos filhos. Ele nunca mais voltará. O homem com a cruz nunca retorna. Quando fizer esses votos, relembre-se: eles introduzem a cruz em sua vida, ferem no coração sua vida centrada no ego, e nunca mais haverá lugar para retorno. E digo eu: "Ai dos levianos!"

No Brasil - e talvez em outros lugares tam­bém - muitas pessoas estão dizendo:
"Expe­rimentem Jesus, experimentem Deus!" Levia­nos, experimentadores, provadores é o que eles são. São como um coelho que conta com doze buracos de saída, para que, caso um seja obstruído, possa fugir pelo outro! Não! Da cruz não há lugar para fugir. Ninguém pode "experimentar" Jesus. Ele não está ã disposi­ção de ninguém para ser testado. Cristo não está sob teste. Você está. Eu estou. Ele não! Deus O ressuscitou de entre os mortos e para sempre confirmou Sua deidade e O selou e entronizou à Sua mão direita como Senhor e Cristo. Entregue tudo a Ele e notará que sua vida começará a ser elevada. Você florescerá de maneira maravilhosa.

Por uma Vida mais Poderosa

Porém, se você, por acaso, for um daqueles sobre quem Deus impôs a mão para uma vida mais profunda, para uma vida mais poderosa, para uma vida mais plena, então eu pergunto se está disposto a fazer uma oração como esta: "O Deus, glorifica-Te a Ti mesmo à minha custa. Envia-me a conta - qualquer que for, Senhor. Eu não estabe­leço o preço. Não tentarei voltar atrás nem barganhar. Glorifica a Ti mesmo. Eu arcarei com as conseqüências".
Esse tipo de oração é simples, mas é pro­funda, maravilhosa e poderosa. Eu creio que se você puder fazer uma oração como essa, ela será a rampa de onde poderá ser lançado às maiores alturas e aos céus mais azuis nas coisas do Espírito.



[1] Título do original em inglês: Five Vorws for Spiritual Power Copyright © Christian Publications, 1996 Copyright © Editora dos Clássicos, 2002. Tradução: Editora dos Clássicos. Revisão: Paulo César de Oliveira. Os textos das referências bíblicas foram extraídos da versão Almeida Revista e Atualizada, 2a edição (Sociedade Bíblica do Brasil), salvo indicação específica.

0 comentários :